Recent Posts

26.7.07

Ichi, o assassino



Segundo o IMDB, Takashi Miike, desde a sua estreia em 1991 já realizou mais de 70 filmes! São na sua maioria OVs, ou seja filmes de baixo orçamento feitos especificamente para o mercado vídeo. Há meia dúzia de anos foi descoberto na Europa como autor, e os seus filmes têm passado em festivais como Sitges ou mesmo Cannes. Eu próprio descobri-o há anos no Fantasporto com 'Audition' (por cá também conhecido como 'Anjo ou Demónio'), que se tornou um filme de culto e é geralmente considerado a sua obra-prima.
De um modo geral os seus filmes não se destinam a almas sensíveis, e este 'Ichi, o assassino' é mesmo de uma sanguinolência atroz. Vai o filme a um quarto e já perdemos a conta aos métodos de tortura empregues e às personagens assassinadas, já para não falar nas cabeças e membros decepados... Às tantas entra-se mesmo na lógica desenho animado (aliás o filme é baseado numa manga) e os magotes de sangue e mortes a metro já nem impressionam ninguém.
Impressiona mesmo é a destreza do realizador, que usa magistralmente os escassos meios ao seu dispor (e a partir de um argumento algo idiota), conseguindo através de uma magnifica montagem, de um uso virtuoso da câmara e de uma fotografia carregada, fazer-nos esquecer que estamos perante um yakuza série B, criando um ambiente muito peculiar e envolvente, que não exclui alguns momentos de uma estranha e melancólica beleza no meio da violência e amoralidade reinantes.
Se fossemos distinguir 'forma' e 'conteúdo' (algo sempre problemático, mas simplifiquemos), só poderíamos dar nota máxima a Miike na 'forma'. Quanto ao 'conteúdo', já se sabe - está longe de ser para todos os estômagos.
Koroshiya 1/Ichi the Killer, Japão/Hong Kong/Coreia do Sul, 2001. Realização: Takashi Miike. Com: Tadanobu Asano, Nao Omori, Shinya Tsukamoto, Paulyn Sun, Susumu Terajima, Shun Sugata.

3 comments:

jamagonça said...

Quero muuuuuito assistir a esse filme do Takashi.
Espero consegui-lo logo. Ótima dica.
Grande abraço,
Jamile.

Paulo said...

Isto é de uma brutalidade surreal (e ocasionalmente hilariante). Dos filmes mais bizarros que tive oportunidade de ver :-S

Harry_Madox said...

Bizarro é mesmo a palavra certa para descrever o universo de Miike :)