Recent Posts

13.2.09

Dúvida



John Patrick Shanley adapta competentemente a sua peça ‘Dúvida’, vencedora de um Pulitzer, para o grande ecrã, mas não consegue ultrapassar completamente o estigma do palco. Embora não se coíba de usar com propriedade essa arma cinematográfica por excelência que é o grande plano, sendo que quando temos actores como estes uma expressão pode valer tudo, a maior parte do tempo não podemos de deixar de pensar que ganharíamos em ver isto tudo num palco. Não se perderia nada de importante em termos de mise en scene, mais ´teatral’ que cinematográfica, e ganharíamos, claro, com a proximidade deste magnifico grupo de actores.

Nunca tendo lido a peça em causa, apenas posso falar do argumento do filme, que suponho ser-lhe fiel, que me pareceu interessante ma non troppo.

O destaque vai mesmo inteirinho para os actores: Meryl Streep saca mais um papelão na figura da intolerante, austera e ressentida Irmã Aloysius, que acusa o Padre Flynn de pedofilia (nunca pronunciando tal palavra, claro), apenas porque não gosta dele e porque é uma espécie de iluminada que acha que sabe, assim, sem mais, sem qualquer coisa palpável - é, sem dúvida, uma das personagens mais antipáticas que têm passado pelos ecrãs; Philip Seymour Hoffman aguenta o embate de igual para igual, o que diz muito, e compõe um padre Flynn aberto, humano, mas com uma quase imperceptível ambiguidade que define toda a trama. Destaque ainda para as duas actrizes secundárias: Amy Adams, no papel da insossa e ingénua (mas também algo ambígua) Irmã James, que despoleta a bomba, está inexcedível e Viola Davis precisa apenas de uma cena para mostrar que está ao (elevado) nível do conjunto.

Doubt, E.U.A., 2008. Realização: John Patrick Shanley. Com: Meryl Streep, Philip Seymour Hoffman, Amy Adams, Viola Davis.

1 comments:

Luís said...

O Hoffman é GRANDE!

Já votaste no melhor filme do cineasta Paul Verhoeven?

http://www.grandesplanos.blogspot.com