Recent Posts

2.8.12

'Vertigo' eleito o melhor filme de sempre


Pela 1ª vez em 50 anos, 'Citizen Kane' não encabeça a lista do BFI dos melhores filmes de sempre. 'Vertigo' (Hitchcock, 1958) foi o mais votado pelos 846 críticos e outros profissionais convidados a votar este ano (a votação realiza-se de 10 em 10 anos).

O filme de Welles ficou desta vez em 2º lugar, sendo o top 10 completado com 'Tokyo Story' (Ozu), 'A regra do Jogo' (Renoir), 'Aurora' (Murnau), '2001' (Kubrick), 'A desaparecida' (Ford), 'O homem da câmara de filmar' (Vertov), 'A paixão de Joana D´Arc' (Dreyer) e '8 1/2' (Fellini).

Será interessante verificar quem votou em quê, quando (esperemos) à semelhança das votações anteriores for divulgada a votação individual de cada convidado.

5 comments:

Ricardo Gross said...

Sempre aquele de que me lembro primeiro. A maioria tornou-se "igual" a mim. "Pela 1ª vez em 50 anos".

Harry_Madox said...

Eu tenho sempre muita dificuldade em eleger um Hitch (que é o meu realizador preferido)... Entre o Vertigo, o Rear Window, o Psycho, o Difamação, o Intriga Internacional e mais alguns entro sempre em apatia opcional...

Talvez tente fazer (novamente) o meu top 10, tomando este do BFI como pretexto.

André Moura e Cunha said...
This comment has been removed by the author.
André Moura e Cunha said...

Pois, eu também tenho essa dificuldade no caso do Tio Alfred. Mas, desde miúdo (e normalmente as minhas preferências são bastante mutáveis no que respeita ao gostos pessoais da filmografia, da bibliografia ou da discografia, de um realizador, de um escritor ou de um músico ou banda, respectivamente), Vertigo foi sempre, sempre o meu preferido.
Aos que tu referiste juntaria o Pássaros, A Casa Encantada (aquela sucessão gráfica do sonho elaborada por Dali é inolvidável), O Desconhecido do Norte-Expresso e os muito subestimados Dial M... e o I Confess, e para o fim o maravilhosamente lírico (embora sempre com os nervos à flor da pele) Rebecca. Mas havia mais
Quanto aos outros, tal como os 4 Godard's, faria 4 Coppola's, juntando-lhe The Conversation, e 4 Tarkovsky's com O Sacrifício; e depois não há Visconti!?

Harry_Madox said...

Pois esqueci-me de referir 'Os pássaros', um dos meus preferidos entre os preferidos, também.

Por acaso não tinha reparado que não há nenhum Visconti nos 50... estranho, de facto.