Recent Posts

5.1.13

Notas breves #5


Killer Joe
O filme que mais dificuldade tive em classificar no passado ano.  É assim uma espécie de cruzamento entre Tenessee Williams e 'The Killer Inside Me'. Mas se é muito impressivo (certamente não deixará nenhum espectador indiferente), também não me convenceu inteiramente: nem a sua composição deliberadamente teatral (adivinha-se que é baseado numa peça), nem o seu final aberto, nem mesmo a actuação de Matthew McConaughey, a que me pareceu faltar carisma para uma personagem destas.
Killer Joe, William Friedkin, 2011

Holly Motors
O Ovni do ano. Há muito tempo que não via um filme baralhar tanto as expectativas do espectador.
Holly Motors, Leo Carax, 2012

Bellamy
Não gostei tanto do último Chabrol como gostaria de ter gostado. Mas é ainda assim um bom thriller, que proporcionou um encontro in extremis entre o mestre e o agora muito nas bocas do mundo Depardieu.
Bellamy, Claude Chabrol, 2009

César deve morrer
Tinha tudo para ser um grande filme, mas falta-lhe algo. Nunca chegamos nem a principiar a conhecer aqueles presidiários que se prestaram a ser actores de Shakespeare.
Cesare deve morire, Paolo Taviani e Vittorio Taviani, 2012.

Taken - A vingança
Hora e meia de entretenimento razoável, mas a milhas do primeiro 'Taken'. Olivier Megaton, que substitui Pierre Morel atrás da câmara, não escapa à maldição das sequelas.
Taken 2, Olivier Megaton, 2012

As voltas da vida
Um filme muito, muito previsível que vale apenas por nos trazer de volta o Clint Eastwood resmungão e irascível que andava desaparecido desde 'Gran Torino'. Lamentavelmente Robert Lorenz é um realizador banal e nem de longe consegue fazer os milagres de Clint, que é capaz de pegar num argumento cheio de clichés ('Million Dollar Baby') e transformá-lo num grande filme.
Trouble With the Curve, Robert Lorenz, 2012

4 comments:

pmramires said...

Devia ter lido isto antes. Teria impedido um roto de gastar 4,5€ naquela merda do Lorenz. Foda-se. Já nem no crl do Eastwood num papel de velho insuportável e verrinoso se pode confiar.

Harry_Madox said...

Podes crer. O Eastwood fez um favor ao gajo, que se calhar não conseguiria fazer o filme de outro modo.

Ricardo Gross said...

Então e o TABU e o CAVALO DE TURIM?

Penso ver hoje o THE RAID, filmado por um gajo de que nunca tinha ouvido falar (Gareth Evans) e situado num arranha-céus na Indonésia. Li que é o melhor filme de "porrada" das últimas décadas. Conheces?

Ali o Dementia 13 aprova.

Harry_Madox said...

É assim:
Tabu: não vi.
Cavalo de Turim: sinceramente, não saberia o que escrever sobre este filme. É esteticamente irrepreensivel, mas jamais consegui aderir a ele. Not my cup of tea, lamento.
The Raid: nunca tinha ouvido falar. Por acaso andei a pesquisar uns filmes para ver do top do amigo Perrone, mas este tinha-me passado. A ver.