Recent Posts

10.7.06

Eu, tu e todos os que conhecemos



‘Eu, tu e todos os que conhecemos’ é o primeiro filme da artista norte americana Miranda July . No centro do filme está uma história de amor improvável, entre um vendedor de sapatos (interpretado pelo excelente John Hawkes,a fazer-me lembrar o David Thewlis de ‘Naked‘ numa versão menos ácida) e uma condutora de taxi para idosos (!) que é artista nas horas vagas (interpretada por Miranda July, herself). Tudo neste centro é magnífico, romanticamente destrambelhado, desesperadamente terno, muito ‘punch-drunk love’ para usar uma referência inevitável. À sua volta podemos desenhar um círculo mais largo, que abrange todos os secundários: os filhos dele algo perdidos, os idosos de quem ela trata (os mais felizes), um colega dele que se envolve num estranho jogo erótico com duas adolescentes, uma directora de museu deprimida, uma miúda obcecada com o enxoval. Neste circulo o ambiente é mais 'Hapiness' (que como se sabe era um filme sobre tudo menos a felicidade), e na minha opinião menos interessante - aproxima-se mais da tradicional crónica desencantada dos subúrbios, retratada em n filmes independentes americanos. Sendo tentador servirmo-nos de outros realizadores para a caracterizarmos a ela, não se pense por isso que July é uma mera ‘aglutinadora’ de referências ou estilos: nada disso - é mesmo senhora de um tom próprio e inesperado. Não pondo de lado o ser uma artista/performer - veja-se como as ‘instalações’ da sua personagem, e nomeadamente a sua bela voz, dão um estranho tom poético ao filme - é uma cineasta (e argumentista) de corpo inteiro, e não uma artista que achou que já que fazia uns vídeos também podia fazer um filme para passar nas salas de cinema... (aliás, de passagem, farta-se de gozar com o mundo da arte moderna que naturalmente muito bem conhece.)
Não nos vamos esquecer tão cedo de Richard, o vendedor de sapatos que imolou uma mão como símbolo do fim do seu casamento, e que grita estar pronto para viver experiências superiores; nem de Christine, a artista amadora que sabe que os dois têm uma vida em comum à sua espera, mas que tal só pode acontecer se ele lhe telefonar. Quem não gostava de encontrar alguém como eles?
Me and You and Everyone We Know, E.U.A./Grã-Bretanha, 2005. Realização: Miranda July. Com: John Hawkes, Miranda July, Miles Thompson, Brandon Ratcliff, Carlie Westerman, Hector Elias, Brad William Henke, Natasha Slayton, Najarra Townsend.

3 comments:

Sunday Morning said...

eu adorava conhecer :)

Chibi said...

Posta a questão nesses termos, nao sei se seria necessariamente positivo.
Mas o comentário que queria fazer está relacionado com o facto de este filme te ter recordado o Happiness. Senti o mesmo.

outubro said...

só lamento que a prometida música de d. sylvian 'messenger' não se tenha ouvido. tudo o resto flui numa serena surpresa.