Recent Posts

27.1.09

Vicky Cristina Barcelona



Confesso que estava a gostar tanto de ‘Vicky Cristina Barcelona’ que até fiquei um bocadinho, como direi, desiludido?, irritado?, quando apareceu a personagem de Penelope Cruz. Estavam-me a saber tão bem aqueles jogos de sedução entre Juan Antonio (excelente Bardem) e Vicky e Cristina que nem queria que se passasse mais nada.

Enfim, continuo a achar que Penelope desequilibra um pouco o filme (parece-me a única personagem que não descola do estereotipo), mas nem assim se quebrou o meu encantamento. O modo como Woody Allen joga com todos os clichés sobre os espanhóis, sobre Barcelona, sobre os americanos, sobre as relações, abertas ou nem por isso, é de mestre. E Vicky e Cristina, meu Deus, nem há palavras para Scarlett e Rebecca Hall, magnífica dupla que Woody em boa hora juntou.

E o modo como Allen combina leveza e gravidade, como põe toda a sala a rir com um filme em que ninguém é verdadeiramente feliz (só o enfadonho marido de Vicky, o que não é muito consolador) e que não acaba bem para uma única personagem.

Acrescento apenas, que desde ‘ Death Proof’ que não saía de um filme com tanta vontade de entrar na sala outra vez para o rever (ainda não tive oportunidade de o fazer, mas não deve passar de hoje). É assim Woody Allen: sempre que o querem enterrar (e eu quase que o fiz com ‘O sonho de Cassandra’), lá saca ele de mais um coelho da sua cartola-universo de obras-imperdiveis.
Vicky Cristina Barcelona, Espanha/E.U.A., 2008. Realização: Woody Allen. Com: Rebecca Hall, Scarlett Johansson, Javier Bardem, Penélope Cruz, Chris Messina, Patricia Clarkson, Kevin Dunn.

11 comments:

wasted blues said...

Para mim, a Penélope é do melhor que aparece no filme!

Harry_Madox said...

Parece-me que é a opinião generalizada... Já eu gostei mesmo foi da Vicky, da Cristina e de Barcelona :)

wasted blues said...

Bem, vi o filme há 2 meses e mantenho a opinião. Penélope mete a Scarlet num chinelo :)

Harry_Madox said...

Eheh! Parece-me que só nós os homens (a começar pelo Woody Allen, claro), damos o devido valor à Escarleta ;)

Harry_Madox said...

PS: se alguém meteu a Scarlett num chinelo (e eu, escusado será dizer acho que não) foi a Rebecca Hall. Que mulher!

wasted blues said...

Não tenho nada contra a Scarlet ;)

cj said...

se a Penélope não aparecesse a coisa amornava...

Harry_Madox said...

verdade...:)

menina limão said...

não podia discordar mais: a personagem da Penélope dava todo um outro filme, todo um outro programa e não a acho nada estereotipada, acho-a realista - vendo bem, pode ser a mesma coisa, mas sem a carga pejorativa.

o timing da entrada da penélope é estratégico também por uma questão de ritmo, mas na minha opinião as tormentas mais interessantes eram as da vicky e não as da cristina, e sem penélope a parte da scarlett seria sempre a menos interessante, ainda que interessante. todas as histórias pessoais e conjuntas são muito boas, mas não tenho dúvidas de que o romance javier-penélope é o mais brutal (adjectivo escolhido a dedo).

acho muita piada à discussão de certos filmes, acho piada como um filme me pode dizer muito a mim e a ti pouco (não é este o caso, eu sei) ou dizer-me muitas coisas que a ti não te diz, pura e simplesmente por causa das coisas (diferentes) que cada um viveu (ou não viveu).

Harry_Madox said...

só depois de rever o filme (uma série de acontecimentos ainda não o permitiu) me tornarei a pronunciar sobre o assunto Penélope!
(e claro que podemos gostar de um filme por causa de uma série de coisas, sendo que o facto de nos dizer algo 'pessoalmente', de ter algo a ver connosco, com a nossa vida, com a nossa experiência, não é uma razão de somenos)

Paulo Bartolomeu said...

Não posso de achar piada ao facto de ainda à uns dias atrás ter feito um comment no meu blog exactamente sobre o mesmo filme :).

Curiosod que Partilhamos de opinião em algumas coisas,

Convido-vos a virem ver e a comentar no meu blog:

http://filmesemblog.blogspot.com

Novos posts estão ai quase a sair fresquinhos, fico à espera.

E sem dúvida que não irei perder este blog de vista.

Abraço