Recent Posts

2.1.12

TOP 10 - 2011



1. Cisne negro, Darren Aronofsky
2. Um ano mais, Mike Leigh
3. Inquietos, Gus Van Sant   
4. Drive, Nicolas Winding Refn
5. Um método perigoso, David Cronemberg
6. Hereafter - Outra vida, Clint Eastwood
7. Essential Killing - Matar para viver, Jerzy Skolimowski
8. Crazy Horse, Frederick Wiseman
9. Habemus Papam, Nanni Moretti
10. Offside - Fora de jogo, Jafar Panahi

12 comments:

Ricardo Gross said...

Um esforço mais e o Mike Leigh encabeçava a tua lista tal como fez na minha. É um belo filme, melancólico e lúcido.

Um abraço deste visitante regular.

Harry_Madox said...

É magnífico. Aliás é o único filme deste top que eu já revi.

Um abraço!

AMC said...

Afinal não ias ter uma "boa lista" e mais não sei quê? Esta é uma excelente lista.
Dissecando:
- não vi os 3.º, 8.º e 10.º filmes do ano segundo a tua preferência (problema regional);
- Os 1.º, 2.º e 7.º constam da minha, como sabes (5.º, 6.º e 2.º, respectivamente);
- o teu 4.º (salvo seja) é o meu 9.º dos piores do ano (mas isso já sabias) - aliás os meus 1.º e 3.º parecem nem sequer ter existido para os cinéfilos portugueses, ao contrário dos restantes.
- O de Eastwood, está na lista daqueles 12 que me foram indiferentes, tal como o Moretti.
- o teu 5.º (Cronenberg) está na minha lista das menções honrosas.
Nem foram listas muito parecidas, e é aí que reside a beleza da cinefilia, e é por isso que sigo o teu blogue e as tuas críticas com entusiasmo, embora possa discordar de algumas.
Acho que no próximo ano poderíamos fazer uma apanhado de um conjunto de cinéfilos da blogosfera (olha o listómano a impor-se...) e fazer uma possível lista da blogosfera portuguesa. Desde que se proíba o uso do adjectivo "pateta" para qualificar um filme, ainda para mais em filmes que geram simultaneamente sentimentos de "ódio" e "Paixão irrestrita" (passe a redundância) na comunidade cinéfila, dividindo-a como Moisés fez ao Mar Vermelho.
Um abraço e um Bom Ano de 2012 para ti,
André
PS - Já vi 3 vezes o de Mike Leigh e não me canso de o ver. Concordo com o Ricardo Gross na sua análise, é sem sombra de dúvida o melhor filme de Leigh após o dilacerante Naked (esse já vi umas 20 vezes) - aquela coisa do Happy Go Lucky, parecia um em busca do "Nu" perdido, fez-me temer pela carreira do realizador britânico, mas voltou ao trilho certo.

Harry_Madox said...

He he, obrigado. Andei a fazer uma maratona de fim de ano. O 3º e o 10º tive que recorrer à net, que o problema regional em Braga, onde moro, é ainda(muito) superior ao do Porto... Mas o oitavo vi-o precisamente no Porto, no Campo Alegre, à uns meses.

De resto não gostei deste Malick (mas o Novo Mundo há de estar aí no meu top de há 5 ou 6 anos) e não vi o Von Trier porque o único filme dele que gostei foi Os Idiotas e portanto desisti. Definitivamente aquele cinema não é para mim.

E já que falas em blogosfera, uma coisa de que tenho pena é de não haver, com uma execpção ou outra, bons blogs de cinema na blogosfera portuguesa, é tudo ou muito pipoqueiro ou muito 'Tio Bomee'. E a maior parte dos blogs parecem (e devem ser) escritos por putos que nunca viram um filme anterior ao Star Wars. Na minha opinião as pessoas que melhor escrevem sobre cinema estão em blogs 'generalistas', como o Ricardo Gross, precisamente.

Um abraço.

PS: Vou atacar agora no início do ano os teus nº1 e nº3... de livros.

Lia Ferreira said...

Madox! És de Braga?! Tenho aí bons amigos! Quando aí passar desafio-te! :)

Hoje andei a sacar filmes para corrigir falhas de 2011... devo chegar a uma conclusão lá para 2013!..

Bom Ano!

Harry_Madox said...

Moro em Braga, para mal dos meus pecados :) :)

Isto uma pessoa às tantas tem que tomar uma decisão e fazer um top com o que viu e pronto. Eu não queria nada fazer o top sem ter visto a Toupeira e o Isto não é um filme, mas tive que me decidir, se não nunca mais saía a coisa...

Bom ano!

Belmiro Oliveira said...

Madox, isto aqui não é assim tão mau. Até acabou por chegar aqui o offside, ainda que só há 2 semanas.

Não vi quatro destes, e achei o Eastwood muito fraquinho. A mim, o Drive pareceu só superfície,e demasiado polida: a mocinha inglesa a dar uma de latina mulher de rufia não me convenceu por um minuto, preferia que aquilo tudo virasse verdadeira série B, que não se importasse de ser significativamente mais chunga, visto que o enredo e argumento para isso estão (assim como o Perlman). O Mike Leigh é um grande artista.

Do meu ano destaco o Todos os Outros (acho que estreou em Portugal em 2010, mas chegou a Braga no início de 2011), o The Fighter (e já agora, o Last Night), que prontamente admito não ser um grande filme e o Hugo, que já tive a sorte de ver. Scorsese's, até de crianças

Harry_Madox said...

É mau, é, nem A Toupeira estreou! Nem o Polanski! Ok, se calhar chegam daqui a uns meses.

Olha, do Last Night gostei muito da metade com a Keira knightley e não gostei nada da outra. O Fighter estive para o ir ver uma catrefada de vezes e depois acabei por o perder.

O todos os outros tb. penso que estreou em 2010, mas não gostei lá muito... o argumento 'casal em crise por Itália' tem a fasquia demasiado elevada...

O Narrador Subjectivo said...

Vi muito poucos filmes ete ano, mas o Cisne Negro é mesmo uma obra-prima!

Cumprimentos

http://onarradorsubjectivo.blogspot.com/

Harry_Madox said...

É um filme que vi em poucos tops.

C. Vantacich said...

Gosto bastante da sua lista e concordo com quase todas as posições, excepto com o filme do Eastwood.

Por apreciar e respeitar muito o trabalho dele como realizador, fiz questão de o ir ver ao cinema (tal como outros que figuram no seu top), mas confesso que foi uma tremenda desilusão.

Parece-me que o sr. Clint não se quis comprometer e apesar de se ter interessado pelo tema central do filme, ao ponto de o querer realizar, a dada altura deve ter-se acobardado com medo da opinião pública...

Eventualmente terá pensado que poderia perder credibilidade, não sei.

Não gostei especialmente porque a expectativa era alta e desta senti-o inseguro e receoso.

Harry_Madox said...

Parece que a generalidade dos fãs de Eastwood ficaram desiludidos com o filme. Eu gostei bastante quando o vi em sala, e penso reve-lo brevemente. A cena inicial conquistou-me logo e gostei bastante dos actores, e do modo sensivel como um tema tão difícil é tratado. Mas conheço pouca gente que partilhe a minha opinião!