Recent Posts

27.1.06

Livraria (IV)



Já aqui comentámos (e elogiámos) a 1ª edição deste livro. Saiu há uns meses, a tempo das compras de Natal, uma segunda edição 'revista e actualizada'. Folheando o livro não se encontra qualquer nota sobre quais foram as revisões e actualizações e muito menos quais os seus critérios. Bom, cabe então ao leitor, com alguma paciência, fazer o trabalho de casa. Comparando a minha edição (a 1ª) com a da Xispinha (a 2ª), chegámos às seguintes listagens:

Filmes que entram na 2ª Edição:
As aventuras de Priscilla, Rainha do deserto - Stephan Elliott (1994)
O casamento de Muriel- P.J. Hogan (1994)
Shine - Simplesmente genial - Scott Hicks (1996)
Lantana - Ray Lawrence (2001)
Herói - Yimou Zhang (2002)
O Senhor dos Aneis (II) - Peter Jackson (2002)
Oldboy - Chan-wook Park (2003)
Adeus Lenine - Wolfgang Becker (2003)
O Senhor dos Aneis (III) - Peter Jackson (2003)
Fahrenheit 9/11 - Michael Moore(2004)
A Paixão de Cristo - Mel Gibson (2004)
Colateral - Michael Mann (2004)
O Aviador - Martin Scorcese (2004)
Million Dollar Baby - Clint Eastwood (2004)

Filmes da 1ª edição que saem:
Dracula de Bram Stoker - Francis Ford Coppola (1992)
Candyman - Bernard Rose (1992)
A idade da inocência - Martin Scorcese (1993)
Estranhos prazeres - Kathryn Bigelow (1995)
O livro de cabeceira - Peter Greenaway (1996)
Rápido, barato e descontrolado - Errol Morris (1997)
Kundun - Martin Scorcese (1997)
Um mal nunca vem só - Guy Ritchie (1998)
Odishon, Anjo ou demónio - Takashi Miike (1999)
Ataquem a bomba de gasolina - Juyuso Seubgyuksageun (1999)
De olhos bem fechados - Stanley Kubrick (1999)
Irmão, onde estás? - Joel Coen (2000)
A.I. - Steven Spielberg (2001)
Chicago - Rob Marshall (2002)


Dando de barato o critério de pôr filmes de todos os anos, o que implica que entrem filmes posteriores à primeira edição (que é de 2003), pois só assim se pode fazer render o peixe com reedições futuras, há ainda assim muito para se dizer. Em alguns casos até se percebe a lei de 'compensações' levada a cabo no entra/sai: entra um documentário (Fahrenheit), sai outro (Rápido, barato...); entra Scorcese (O Aviador), sai Scorcese (A Idade da Inocência e Kundun); entra um filme coreano (Oldboy), sai um filme coreano (Ataquem a bomba...). No geral, no entanto, os critérios são difíceis de defender. Porque raio em 2003 'O casamento de Muriel' não era digno de figurar no livro, e dois anos depois já é? E contrariamente, porque é que a 'Idade da Inocência' é despromovido? Será que a percepção do que será o 'canone' se alterou em dois anos!? E porque é que Sofia Coppola continua sem ter direito a entrar no clube dos 1001? Sinceramente, e mesmo tendo em conta o caracter subjectivo e mesmo arriscado deste tipo de escolhas, esta 'revisão e actualização' parece-me muito aleatória...

4 comments:

O Tipo said...

Já para não falar de terem retirado o Dracula de Bram Stoker, o
Estranhos prazeres e Irmão, onde estás? ...

Xispinha said...

Não esquecer que o Takeshi Miike foi obliterado do rol de eleitos, o que me parece muito sensato...

idadedainocencia said...

Quando os livros, como foi este o caso, são feitos em regime de co-edição, o editor português não tem (se é que tem alguma) margem de manobra. As alterações feitas no que concerne aos filmes escolhidos são da exclusiva responsabilidade do editor inglês e da sua equipa de críticos. Eu, pessoalmente, também fiquei muito decepcionado com a exclusão de "A Idade da Inocência" e "O Drácula de Bram Stoker", entre outros. Quanto à revisão, eis algumas das coisas que foram feitas:
. foram corrigidos muitos erros do original inglês (pródigo em omissões e confusões). Por exemplo, a ficha técnica de Habla con Ella era igual à de Tudo Sobre Minha Mãe. A 2ª edição portuguesa não faz o mesmo erro. Este é apenas um dos muitos erros que já constavam da edição original inglesa (como afirmar que o personagem de Henry Fonda em "Jezebel" era dos Estados do Norte ....)
. foram corrigidos alguns deslizes da tradução e tentou-se dar às entradas portuguesas mais clareza, sempre que possível.

Unknown said...

Nunca tive dúvidas de que as actualizações 'vieram' da edição original. Ainda bem que na edição portuguesa foram feitas as correcções que indica - no geral considero esta edição muito boa. Agradeço-lhe os esclarecimentos aqui feitos.